4ª edição do Simpósio sobre Segurança Regional Europa-América do Sul

JPEG
JPEG
A 4ª edição do Simpósio sobre Segurança Regional Europa-América do Sul foi realizada no dia 04 de abril no Comando Militar do Planalto (Presidência da República). Ela reuniu mais de 400 pessoas incluindo representantes de Embaixadas, Ministérios, Forças Armadas, e muitos estudantes. Esse evento foi organizado pelo Ministério da Defesa do Brasil, através do Instituto de Estudos de Defesa Pandia Calogeras, do Gabinete do Ministro, do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, assim como pelo Ministério das Relações Exteriores, pela Delegação da UE, das Embaixadas da França e da Bélgica, e do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), e do Instituto Real de Relações Internacionais (EGMONT) do Reino da Bélgica e a Fundação Konrad Adenauer.

Ele teve como objetivo consolidar a parceria da União Europeia com a América do Sul sobre os assuntos de interesse comum, no âmbito da defesa e da segurança, como especificado nas conclusões do Conselho de 18 de maio de 2017, no contexto da estratégia global da União europeia.

Após uma intervenção do Chefe de Gabinete de Segurança Institucional, Sr. Etchegoyen , os público pôde assistir e participar de três mesas redondas: a primeira sobre políticas de defesa e de segurança, tema abordado em todas as edições; a segunda oferece uma visão geral sobre questões de defesa e segurança entre a África, a Europa e a América do Sul; e a última dedicada à luta contra o narcotráfico e o crime transnacional.

Cada painel sinalizou a necessidade de aumentar a cooperação entre os blocos regionais. O General Philippe Boutinaud, Chefe de Gabinete para Assuntos Regionais da Direção Geral para Relações Internacionais e Estratégia, lembrou também dos laços históricos e culturais com o continente africano, tanto para os europeus como para os sul-americanos, e principalmente com os brasileiros. Ele militou fortemente pelo desenvolvimento de uma cooperação triangular ou mesmo multilateral, particularmente no âmbito das operações de manutenção da paz das Nações Unidas ou das operações da UE para reforçar as capacidades dos nossos parceiros africanos.

publié le 11/04/2018

haut de la page