AFD faz parceria com o Estado do Ceará para preservar os recursos hídricos do Nordeste e combater a mudança climática

GIF
A Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) e a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) assinaram hoje um programa de estudos, no total de 950 mil euros, sobre o desenvolvimento de baixo carbono no Estado do Ceará.

A Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) firma parceria com o Governo do Ceará para a gestão sustentável da água no Nordeste, levando em conta seus diversos usos: água potável, irrigação e energia, entre outros. O Memorando de Entendimento entre a AFD e a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), assinado hoje na presença do governador do Estado do Ceará, Camilo Santana, e do encarregado de Negócios da Embaixada da França no Brasil, Gilles Pecassou, permitirá o lançamento de uma série de estudos sobre esses temas. Eles serão financiados em 950 mil euros pela ferramenta "Facilité 2050" da AFD.

Criada após a One Planet Summit, ocorrida em dezembro de 2017, em Paris, esta nova ferramenta apoiará cerca de 30 países na construção de trajetórias de desenvolvimento resilientes e de baixo carbono, compatíveis com os objetivos do Acordo de Paris. Trata-se do primeiro estudo financiado pela Facilité 2050 no Brasil.
A região nordeste brasileira, em particular o Ceará, vem passando por uma grave estiagem há vários anos, com uma diminuição drástica do nível dos reservatórios de água. Neste contexto, agravado pelas mudanças climáticas, a gestão da água deve levar em conta as necessidades para o consumo humano, mas também para a produção de hidroeletricidade e para o setor agrícola, que desempenha um papel de liderança na economia brasileira.

O projeto financiará atividades de pesquisa e capacitação no Nordeste rural. Elas serão divididas em três áreas: (1) analisar os impactos da mudança climática nos setores de água, energia e agricultura e avaliar os efeitos de políticas públicas; (2) identificar caminhos de desenvolvimento agrícola menos intensivos em emissões de gases de efeito estufa para promover a transição agroecológica; (3) reforçar as capacidades das instituições atuantes no setor e aprimorar os sistemas de informação.

As ações serão realizadas pela Funceme em parceria com o CIRAD, o centro francês de pesquisa agrícola para o desenvolvimento, que está co-financiando o projeto. Serão envolvidos também o IRD (Instituto francês de pesquisa para o desenvolvimento), o INRAE (Instituto nacional francês de pesquisa agrícola) e universidades brasileiras.

Entre outros objetivos, as análises proporcionarão uma melhor compreensão do funcionamento hidrológico da região e permitirão a análise de diferentes opções técnicas para o abastecimento de água potável. Elas também propiciarão uma melhor compreensão das implicações climáticas da dinâmica recente do desenvolvimento agrícola, como a da indústria leiteira, e ajudarão a estabelecer objetivos de conservação territorial. Os estudos que serão realizados no âmbito desta cooperação deverão contribuir com a definição de políticas públicas e projetos de investimento na região, que poderão ser apoiados pela AFD.

Ocorrendo a quase cinco anos depois da assinatura do Acordo de Paris e da aprovação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, este programa fortalece a cooperação franco-brasileira no campo do desenvolvimento sustentável e reafirma a importância de parcerias na luta contra as mudanças climáticas. Há pouco mais de um ano, durante a visita ao Brasil do ministro francês das Relações Exteriores e Europa, Jean-Yves Le Drian, a França havia expressado seu desejo de intensificar sua ação em favor do desenvolvimento sustentável do Nordeste. O Memorando de Entendimento assinado hoje entre a AFD e a Funceme é fruto deste compromisso regional.

A AFD comunicará os resultados dos estudos a serem realizados no âmbito desta cooperação na plataforma 2050 Pathways – uma iniciativa de diversos atores lançada na COP 22, voltada para apoiar os países que procuram desenvolver trajetórias de longo prazo, neutras em carbono e resilientes às mudanças climáticas, compatíveis com o desenvolvimento sustentável.

Sobre a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD)

Instituição financeira pública e solidária, a Agence Française de Développement é protagonista da política de desenvolvimento da França. Ela apoia projetos que melhoram a vida das populações de países em desenvolvimento, emergentes e territórios ultramarinos franceses, contribuindo, assim, para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a implementação do Acordo de Paris sobre o clima. Presente em 115 países por meio de uma rede de 85 agências, a AFD acompanha atualmente mais de 4.000 projetos de desenvolvimento. Em 2019, dedicou 14 bilhões de euros ao financiamento desses projetos. No Brasil, a AFD mobiliza 2 bilhões de euros.

Link de acesso à página da AFD no Brasil: https://www.afd.fr/pt/page-region-pays/brasil

publié le 29/09/2020

haut de la page