Boomerang

Boomerang é um espétaculo de dança concebido pela companhia francesa MALKA, composta de 10 bailarinos. O coreógrafo Bouba Landrille Tchouda mistura culturas urbanas e culturas do mundo, e cria peças inspiradas da capoiera, do hip-hop e da dança contemporanea.

Datas e locais :

Dia 24/04, em Salvador, Teatro Castro Alves – no âmbito do Viva Dança – Site : www.festivalvivadanca.com.br

Dia 28/04 em Brasilia, CCBB – no âmbito do MID – Site : https://www.movimentoid.com.br/

Sobre a peça :
Instrumento de caça, de jogo ou de musica o Boomerang atraverssa os espaços e os imaginarios desde muito tempo, tal como a violência, imemorial, inscrita na nossa humanidade e habitando o presente das nossas vidas. Essa violência que cresce cada dia mais, se convida do nosso lado, entre nos. Uma violência que se expressa em atos ou palavras mas tambem no nosso sistema, onde as palavras como crescimento, felixibilidade e produtividade trazem à logica de agressividade destruidora.

Mas a violência nao é meramente destruitiva : el apode ser também uma força. A da raiva e da colera, aquela que permite se ultrapasar, a ousadia a contra-corrente, o elo do fica rjunto (se rassembler), a afirmação de um « não », ainda e ainda, frente a frenesia dos tempos que correm.

Variação sobre um mesmo tema mas a partir de pointos de vista diferentes, Boomerang declina essa energia que nos habita, que o queremos ou não. Alimentado pelo gosto do desafio e do jogo, Bouba Landrille Tchouda joga oito bailarinos na palco e mobilisa a energia a sensualidade dos corpos, de maneira precisa, poetica ou ludica. ele faz dialogar essa forças em movimento
Vidas. Violências. essas duas palavras soam como um mesmoponto de partida. Essas duas palavras ecoam : dependemdo que faremos delas.

JPEG
vídeo: https://vimeo.com/194026410
© foto : Fabrice Hernandez

Informações técnicas :

Coreografia: bouba landrille tchouda

Bailarinos : aïda boudrigua, jeanne azoulay, eddy cadiche, aurélien collewet

« biscuit », aline corrêa, sonia delbost-henry, michel « in-hoon » galmin, alexandra jezouin, jim krummenacker

Dramaturgia : olivier hespel

Cenografia : rodrigue glombard

Luz : fabrice crouzet

Estilista : claude murgia

Musica : yvan talbot

Produção, administração : MITIKI – Audrey Jardin

Co-produção : maison de la danse – Lyon / mc2 grenoble / ccn de grenoble / chateau rouge annemasse / grand angle voiron com o apoio de pacifique | cdc – grenoble / le centre chorégraphique national de grenoble dans le cadre de l’accueil studio 2016, la spedidam, l’adami 

 

publié le 10/04/2018

haut de la page