Declaração do Presidente francês Emmanuel Macron à imprensa no G7

CUPULA DO G7

TRANSCRIÇÃO DA COLETIVA DE IMPRENSA CONJUNTA DEDICADA AO CLIMA, A BIODIVERSIDADE E AOS OCEANOS

Senhoras e Senhores, Excelentíssimo Sr. Presidente Piñera,

Muito obrigado por estarem aqui. Gostaríamos, junto com o Presidente do Chile, de apresentar a vocês os frutos de uma iniciativa que construímos conjuntamente nos últimos dias, como presidente e como país anfitrião da próxima COP no fim do ano, o Chile assumiu compromissos importantes no que se refere ao clima - e justamente ele faz parte da região convidada a este G7 - e a França, enquanto presidente do G7 este ano.

De fato, diante dos incêndios que destroem a Amazônia, nós tínhamos a obrigação de reagir, o que fizemos desde o inicio do problema, por um motivo óbvio: a Amazônia é o pulmão do planeta e as consequências do que está acontecendo são absolutamente dramáticas.

O G7 se mobilizou rapidamente, promovendo discussões aprofundadas sobre o assunto, desde sábado à noite. Os incêndios estão atingindo diversos países, 9 ao todo, incluindo a França, que está na Amazônia; os incêndios se alastraram sobre uma área de 1,2 milhões de km2, ou seja, duas vezes a superfície da França metropolitana, o que evidentemente é dramático para os países atingidos, mas também para a humanidade como um todo. Eu gostaria de retomar alguns números: a Amazônia armazena 14% do CO2 mundial, portanto a perda do maior pulmão do planeta é um problema mundial. Nenhum país pode dizer que é o único envolvido, ainda que a soberania de cada país tenha que ser respeitada.

É impossível compensar o papel da Amazônia nessa questão, e não podemos esquecer - no que se refere à destruição das florestas - que ela devolve o carbono armazenado anteriormente, e isso significa que o que está acontecendo também tem consequências negativas nas emissões de CO2, de modo que sofremos duas vezes pelo mesmo problema.

Como eu estava dizendo, a França está sendo diretamente afetada por este drama, primeiro porque também somos um país amazônico, e sobre isso eu conversei diversas vezes com o Presidente (do Conselho Regional da Guiana) Rodolphe Alexandre, que está inteiramente implicado e envolvido nesta nossa iniciativa; em segundo lugar, nós ocupamos um lugar de destaque no que se refere à questão das mudanças climáticas.

Ainda com o presidente chileno, como eu dizia, que foi convidado para o G7 e também é o presidente da próxima conferência do clima, nós decidimos mobilizar o G7 para dar uma resposta à esta crise. O presidente vai apresentar em detalhes o plano que criamos, mas imediatamente nós proporemos aos países amazônicos, cujas necessidades nós conhecemos, uma ajuda financeira de pelo menos 20 milhões de dólares, além de apoios concretos. Como o que a França fará, com ajuda dos militares, na região, já nas próximas horas.

Nos próximos meses, construiremos uma iniciativa para a Amazônia que será anunciada oficialmente na assembleia geral da Organização das Nações Unidas. Esta é uma iniciativa a ser conduzida em conjunto com todos os países da região. E tratará de questões centrais para o futuro da Amazônia, do reflorestamento dos territórios devastados, é claro, mas também de projetos concretos que deverão ocorrer em acordo com e para o bem das populações locais, para o desenvolvimento sustentável e para a agroecologia.

Teremos, portanto, que trabalhar com todos os países da região e com os Estados a nível federal, bem como com os atores locais e as populações indígenas. É esse trabalho que nos esforçaremos para concluir nas próximas semanas, de modo que essa aliança coletiva, essa iniciativa em prol da Amazônia possa ser inteiramente concluída nos próximos anos. Gostaria de acrescentar que estamos acompanhando com bastante atenção o que ocorre neste momento na África, e estamos discutindo o assunto com o presidente da União Africana e diversos outros países. A floresta também está em chamas na África, no Congo, e nós estamos analisando a possibilidade de lançar uma iniciativa similar no continente africano.

publié le 15/10/2019

haut de la page