França e Brasil trabalham juntos no combate à COVID19: projeto DPAC Fronteira

JPEGO controle da epidemia da COVID-19 na região da fronteira Amapá/Guiana Francesa é um desafio para França como Brasil. Atualmente, o número de pessoas infectadas no território do Estado do Amapá está aumentando e, os primeiros casos positivos já foram detectados em Oiapoque, bem como do lado francês na cidade de Saint-Georges.

Nesse contexto, a Associação desenvolvimento, prevenção, acompanhamento e cooperação de fronteira – DPAC Fronteira se mobiliza para ajudar os moradores locais a terem acesso às ajudas excepcionais, centralizando suas ações nos bairros e nas comunidades mais distantes, que exigem prioridade. En efeito, uma parte importante da populaçõão em Oiapoque vive, normalmente, de atividades informais ou se encontra em dificuldades, devido ao fechamento da fronteira (catraieiros, mototaxistas, taxistas, setor hoteleiro e comerciantes locais).

A DPAC Fronteira se mobiliza também dos dois lados do rio, no intuito de informar os usuários e moradores da região sobre a importância de se respeitar o fechamento da fronteira. Em efeito, essa medida e o reforço do controle não significam a parada total da passagem de pessoas por razões familiar, comercial, ou sanitária.

Frente a essa situação a embaixada da França apoiou DPAC Fronteira para um projeto de urgências sociais e de prevenção, provocadas pela epidemia da COVID19 com os objetivos seguinte :

- informar a população sobre os riscos da COVID-19 (sintomas, procedimentos a seguir, respeito ao confinamento, se for o caso) e ajudar na prevenção com o uso de máscaras, luvas e álcool em gel;
- detectar as necessidades e distribuir ajuda alimentícia (cestas básicas) para as famílias mais carentes, bem como com distribuição de material de prevenção (kits de higienização);
- formar multiplicadores indígenas, dentro das comunidades, para poder auxiliar na luta contra a COVID-19;
- permitir a continuidade e o acompanhamento dos pacientes crônicos de Oiapoque, dentre os quais os pacientes com HIV ou mulheres grávidas, no processo de acompanhamento ao Centro deslocalizado de prevenção e de tratamento (CDPS) de Saint-Georges;
- assegurar a continuidade do monitoramento dos pacientes HIV de Oiapoque.
JPEG

publié le 27/05/2020

haut de la page