Re-edição do Manuscrito de Don Lourenço Alvares Roxo de Polis consagrado aos pássaros do Pará.

Considerado como um dos primeiros artigos científicos de Historia Natural escrito por um cientista brasileiro, o manuscrito de Don Lourenço Alvares Roxo de Polis, consagrado aos pássaros do Para, foi recentemente publicado em francês e português, coordenado por Forum Landi, com o apoio da Universidade Federal do Para, da Aliança francesa de Belem et da Embaixada da França. Foi no local da Embaixada que houve, dia 7 de dezembro 2017, o lançamento official de o livro « As Aves do Para ». A Embaixada da França representada nesta ocasião por o Conselheiro de Cooperação e d’Ação Cultural, esta particularmente orgulhosa de esta parceria e linda iniciativa que é uma homenagem à um grande cientista, mas também a um artesão da relação entre os nossos dois países.

Como relembrou ontem o responsável cientifico de esta publicação, o professor Nelson Papavero, é na realidade um episódio fascinante, bem que mal conhecido, da relação franco-brasileira que esta re-edição permite ver de novo : o do improvável encontro em 1743 em Belem, entre Charles-Marie de la Contamine e do padre Roxo, entre o ilustro cientista e o explorador francês, muito apreciado nos salões francês, e erudito « chanoine » da Amazonia, ele mesmo filho de um emigrante francês. Dois homens que tudo parecia opor mas que a curiosidade enciclopédica e a mesma paixão de entender o mundo, juntaram. A crer que nesta época, o espirito « des Lumières » soprava da mesma maneira nas beiras do Rio Sena que do Rio Amazona.

Designado correspondante da Academia, o Padre Roxo dirigiu ao seu colega parisiense a primeira parte da grande obra que ele tinha ambição de escrever sobre a fauna e a flora da Amazonia: é este manuscrito, conservado desde 1752 no Museu National de Historia Natural que, graças a essa edição, é agora acessível à todos.

PNG
PNG
PNG
PNG
PNG

publié le 14/12/2017

haut de la page